sexta-feira, 2 de março de 2012

MUSCOVITA



à Resumo:

            A Muscovita recebeu esta denominação devido ao nome popular do mineral: “Vidro da Moscóvia”, pois era usado como vidro na antiga Rússia (Moscóvia). A Muscovita é um dos minerais que se apresentam com melhor transparência, melhor resistência dielétrica e maior perfeição de clivagem, podendo ser facilmente separada em palhetas de dimensões ínfimas. Ela é um mineral petencente ao grupo das Micas (filos silicatos) com fórmula molecular ideal: KAl2(Si3Al)O10(OH,F)2. A Mica, do latim micare (brilhar), é a designação dada a um grupo de silicatos, constituído basicamente de alumínio, sódio ou potássio e muitas vezes por ferro e magnésio cristalizado no sistema monoclínico com uma característica evidente: um empilhamento de folhas finíssimas, que pode ser destacadas facilmente. Utilizando o método macroscópico de análise para diferenciar a Muscovita da Biotita, a transparência será logo notada, mas devido as impurezas presentes nela, também poderá, raramente, ser encontrada com coloração Rósea ou Marrom, e por essa distinção a Muscovita é chamada de mica brancas, enquanto a Biotita é chmada de mica negra. As micas também são conhecidas por serem muito finas e qualquer mudança de peso sobre elas podem causar rachaduras e até quebrar.

à Formação e locais de ocorrência da Muscovita:

            A muscovita ocorre em rochas ígneas, metamórficas e sedimentares, em concentrações muito variáveis, sendo formada por processos pneumatolíticos, hidrotermais e metamórficos (metamorfismo regional e de contato em condições de temperaturas baixas e altas); forma-se também na cristalização magmática de rochas ácidas, especialmente em fase final, aparecendo nos granitos com duas micas, aplitos e pegmatitos (onde a exploração industrial é feita com maior frequência, já que são corpos rochosos de granulação grossa), sendo que nos granitos a maioria dos casos resulta de transformações pós-magmáticas (metamorfismos e hidrotermalismo).
A muscovita é mais resistente que o feldspato ao intemperismo. Assim, ela pode ser encontrada com o quartzo em muitos sedimentos nas praias, nos fundos e margens de rios e lagos.

à Onde usamos a Muscovita:

            As variedades esfoliáveis e limpas da muscovita são principalmente empregadas na construção de aparelhos elétricos, por causa do seu baixo coeficiente de condutibilidade térmica, por resistir a altas temperaturas e choques térmicos e por seu baixo coeficiente de dilatação. É usada normalmente em placas, mas seu pó é um bom isolante térmico, e com ele, aglomerado, fabrica-se a mica sintética. Excelente isolante elétrico, sendo usado em condensadores, reostatos, telefones, lâmpadas elétricas e fusíveis. Já se usou também em janelas como substituto do vidro.

à Características gerais, físicas e químicas da Muscovita:

  • GRUPO - FAMÍLIA: Grupo das Micas; Família dos Filos silicatos;
  • FÓMULA QUÍMICA: KAl2(AlSi3O10)(OH)2;
  • COMPOSIÇÃO: Essencialmente é um silicado de potássio, alumínio, hidratado e frequentemente contém pequenas quantidades de ferro férrico e ferroso, magnésio, cálcio, sódio, lítio, flúor e titânio;
  • CRISTALOGRAFIA: Muscovita e biotita cristalizam-se no sistema monoclínico, classe prismática;
  • PROPRIEDADES ÓPTICAS: Biaxial;
  • HÁBITO: Placoso, laminado e foliado;
  • CLIVAGEM: Pinacóide basal perfeita;
  • DUREZA: Apresenta dureza de 2 a 2,5;
  • DENSIDADE: Apresenta densidade de 2,76 a 3,1;
  • FRATURA: Não se observa fraturas, devido a sua clivagem perfeita resultando folhas bem finas que são bastante flexíveis e elásticas;
  • BRILHO: É vítreo, sedoso ou nacarado;
  • DIAFANEIDADE E COR: Transparente, incolor em folhas delgadas, em blocos espessos translúcida com matizes claros do amarelo, castanho, verde e vermelho;
  • TRAÇO: Branco; e
  • PROPRIEDADES DIAGNÓSTICAS: Caracterizada pela sua clivagem extremamente perfeita e por sua cor clara. Distingue-se da flogopita por não ser decomposta pelo ácido sulfúrico, da lepidolita por não ter cor rubra e da biotita por não ter cor escura.

à Imagens:
















à Referências:


Postado por Bruno Andrade






Um comentário: