sexta-feira, 2 de março de 2012

PIRITA

Tienda mienrales coleccion.Pirita
Pirita: Apesar de sua semelhança com o ouro, a pirita não passa de um sulfeto de ferro. Mas ela está abrindo o caminho para uma nova geração de células solares.  
(Fonte: Mineral-s)

A pirita é o mineral sulfeto mais comum e disseminado. É conhecido como “ouro dos tolos”, pois sua aparência brilhante engana mineradores iniciantes que a tomam como ouro. Frágil e venenosa quando aquecida (pois ela exala dióxido sulfúrico, um gás venenoso), requer cuidado no seu uso.

O nome pirita provém do grego, significado da palavra fogo, provavelmente devido às faíscas que resultam quando a pirita é golpeada com aço. Esta capacidade a fez popular para o uso em armas de fogo, tais como o wheellock.

A pirita parece ser a responsável pela velha história que diz que “as ruas de Londres foram pavimentadas com ouro”. Isso porque foram utilizados salpicos de pirita ferrosa no calçamento que brilham como ouro ao serem iluminados pelo Sol. 

A pirita é encontrada com frequência em rochas geologicamente denominadas hidrotermais, formadas há milhões de anos, quando a água entrou em contato com pedras incandescentes. Ela desenvolve-se em abundância no mármore e na ardósia. (Howie, Robert A.; 1992)

Além disso, a pirita forma-se tantos nas temperaturas altas como baixas, mas as massas maiores se formam provavelmente em temperatura alta. Ocorre como segregação magmática direta e como um mineral acessório da rocha ígnea, também em depósitos de filões e metamórficas de contato. Pode ser encontrada nas rochas sedimentares (principalmente argilosas carbonosas), sendo tanto de origem primária como secundária e também costuma ocupar certos tipos de rochas anteriormente revestidas de fósseis. (Dana, James; 1969)

No Brasil, encontra-se pirita em quantidades exploráveis em Ouro Preto, Rio Claro, nas jazidas de chumbo e zinco do vale da Ribeira, em Cerro Azul, a noroeste e ao norte de Minas e nas camadas de carvão do sul do País.

FICHA TÉCNICA

Pirita Octaédrica. Pirita Octaédrica.
Pirita Octaédrica
 (Fonte:Fabre Minerals

  • Grupo: Sulfetos (Nesse grupo estão os minerais formados pelos compostos de íon sulfeto (S2-) com cátions metálicos.
  • Sistema cristalino: cúbico ou isométrico
  • Hábito: cúbico, dodecaédrico, octaédrico ou uma combinação deles
  • Fórmula Química: FeS2
  • Dureza: 6,5
  • Densidade: 5 g/cm3
  • Clivagem: inexistente
  • Fratura: conchoidal (em forma de concha)
  • Cor: amarela
  • Cor do traço: preta, preto-esverdeada
  • Brilho: metálico
  • Fluorescência: ausente
  • Transparência: Opaca


UTILIZAÇÃO
Pirita

A pirita tem sido usada, tradicionalmente, na fabricação de aço: o ferro contido nela é extraído por meio de tratamento térmico cuidadosamente controlado. Dela, a indústria também obtém o ácido sulfúrico, utilizado no refino de petróleo, em fertilizantes, tintas e explosivos.

De forma geral, a pirita pode ser convertida também, através de processos hidrometalúrgicos  e pirometalúrgicos, em produtos comerciais tais como sais sulfato férrico e ferroso e óxidos de ferro. 

Pirita e sua utilização
(Fonte: UFRGS)

Na indústria da mineração a pirita é muitas vezes explorada devido à presença de ouro ou cobre associados. A pirita é um importante reservatório mineral de enxofre e matéria-prima na fabricação de sulfato ferroso e ácido sulfúrico. (PUC-Rio).

Os "garimpeiros de novos materiais" estão interessados em uma riqueza renovável. E a pirita pode ser a fonte para uma nova geração de células solares, muito mais baratas de se fabricar. As células solares hoje são caras porque são difíceis de fabricar e usam matérias-primas Caras. Já a pirita é barata e ambientalmente benigna. (Redação do Site Inovação Tecnológica, 2011).

A pirita de ferro - obtida a partir do beneficiamento seletivo do carvão mineral – é aplicada com sucesso em processos industriais, principalmente para correção do teor de enxofre no ferro fundido, objetivando adequar sua qualidade aos níveis requeridos. Também é utilizado em diversos processos industriais como fonte de enxofre. Apresentada ao mercado na forma granular. 

Pirita


APLICAÇÃO NA ENGENHARIA CIVIL

As rochas que contêm pirita são impróprias para construções porque a pronta oxidação desse mineral serviria não só para desintegrar a rocha, mas também para manchá-la, com o óxido de ferro produzido. (Dana, James; 1969)

No entanto, como já foi dito, a pirita tem sido usada, tradicionalmente, na fabricação de aço. Daí vem a principal aplicação da pirita na Engenharia Civil já que o sistema construtivo em aço apresenta vantagens significativas sobre o sistema construtivo convencional.

ponter-P
A construção civil em aço se aplica em vários locais e para diversos usos, como pontes, aeroportos, complexos industriais ou edifícios.
(Fonte: Metalica)

As vantagens da utilização do aço na construção civil são, entre outras:

·    Liberdade no projeto de arquitetura - A tecnologia do aço confere aos arquitetos total liberdade criadora, permitindo a elaboração de projetos arrojados e de expressão arquitetônica marcante.
·   Maior área útil - As seções dos pilares e vigas de aço são substancialmente mais esbeltas do que as equivalentes em concreto, resultando em melhor aproveitamento do espaço interno e aumento da área útil, fator muito importante principalmente em garagens.
·    Flexibilidade - A estrutura metálica mostra-se especialmente indicada nos casos onde há necessidade de adaptações, ampliações, reformas e mudança de ocupação de edifícios. Além disso, torna mais fácil a passagem de utilidades como água, ar condicionado, eletricidade, esgoto, telefonia, informática, etc.
·   Compatibilidade com outros materiais - O sistema construtivo em aço é perfeitamente compatível com qualquer tipo de material de fechamento, tanto vertical como horizontal, admitindo desde os mais convencionais (tijolos e blocos, lajes moldadas in loco) até componentes pré-fabricados (lajes e painéis de concreto, painéis "dry-wall", etc).
·    Menor prazo de execução- A fabricação da estrutura em paralelo com a execução das fundações, a possibilidade de se trabalhar em diversas frentes de serviços simultaneamente, a diminuição de formas e escoramentos e o fato da montagem da estrutura não ser afetada pela ocorrência de chuvas, pode levar a uma redução de até 40% no tempo de execução quando comparado com os processos convencionais.
·  Racionalização de materiais e mão-de-obra- Numa obra, através de processos convencionais, o desperdício de materiais pode chegar a 25% em peso. A estrutura metálica possibilita a adoção de sistemas industrializados, fazendo com que o desperdício seja sensivelmente reduzido.
·    Alívio de carga nas fundações - Por serem mais leves, as estruturas metálicas podem reduzir em até 30% o custo das fundações.
·   Garantia de qualidade - A fabricação de uma estrutura metálica ocorre dentro de uma indústria e conta com mão-de-obra altamente qualificada, o que dá ao cliente a garantia de uma obra com qualidade superior devido ao rígido controle existente durante todo o processo industrial.
·   Antecipação do ganho - Em função da maior velocidade de execução da obra, haverá um ganho adicional pela ocupação antecipada do imóvel e pela rapidez no retorno do capital investido.
·  Organização do canteiro de obras - Como a estrutura metálica é totalmente pré-fabricada, há uma melhor organização do canteiro devido entre outros à ausência de grandes depósitos de areia, brita, cimento, madeiras e ferragens, reduzindo também o inevitável desperdício desses materiais. O ambiente limpo com menor geração de entulho, oferece ainda melhores condições de segurança ao trabalhador contribuindo para a redução dos acidentes na obra.
·   Reciclabilidade - O aço é 100% reciclável e as estruturas podem ser desmontadas e reaproveitadas.
·   Preservação do meio ambiente - A estrutura metálica é menos agressiva ao meio ambiente pois além de reduzir o consumo de madeira na obra, diminui a emissão de material particulado e poluição sonora geradas pelas serras e outros equipamentos destinados a trabalhar a madeira. 
·   Precisão construtiva - Enquanto nas estruturas de concreto a precisão é medida em centímetros, numa estrutura metálica a unidade empregada é o milímetro. Isso garante uma estrutura perfeitamente aprumada e nivelada, facilitando atividades como o assentamento de esquadrias, instalação de elevadores, bem como redução no custo dos materiais de revestimento. 
 (Metálica, 1999)



CURIOSIDADES

MINA DE PIRITA NAVAJUN

Mina de pirita Navajun

A Mina de Pirita Navajun é o único lugar conhecido no mundo onde a pirita tem formas perfeitas de cristais cúbicos.

Navajun é uma vila situada na província de La Rioja, na Espanha, de onde o nome da mina vem. A Mina de Navajun, que produz exclusivamente cristais de pirita, foi descoberto em 1960 pelo mineiro Pedro Ansorena Garret, agora a propriedade pertence à empresa de mineração pirites Navajún SL, formada por Peter Ansorena Conde, Chaver José Atanásio e Nestor Lopez Ogalde.

Devido à natureza frágil da pirita, o trabalho de extração é conduzido à ão e cada amostra é preparada com uma escultura individual.

Imagem de dentro da mina de pirita


Sistema preenche com pirita as frentes que já foram mineradas
Para diminuir as áreas degredadas em Treviso, o mineiro Lucas Roberto Teixeira, 45 anos, que trabalha na Mina Cruz de Malta das empresas Rio Deserto em Treviso no Sul de Santa Catarina, tem uma tarefa muito importante.

Ele é um dos profissionais que atua com o sistema back fill, colocando no subsolo o rejeito do carvão que antes ficava exposto no meio ambiente. "Estamos colocando a pirita nas áreas já mineradas. Serve tanto para sustentar o teto, como dar mais segurança aos mineiros no subsolo. Assim não prejudica o meio ambiente", destaca Teixeira.

O rejeito piritoso que vem do lavador é descarregado num funil na superfície que cai embaixo da mina. Teixeira transporta com a máquina LGD toda  a pirita e vai preenchendo as galerias onde já foi retirado o carvão.

Vantagens na adoção de novo projeto 
O primeiro ponto positivo, segundo o geólogo, é pelo impacto visual, já que o rejeito está sendo colocado no subsolo. “Hoje, as carboníferas, nos depósitos de rejeito da superfície, são obrigadas a envelopar com argila a pirita”, afirma.

O engenheiro ambiental, Jones Martins, destaca que quando a mina encerrar suas atividades e desligar os exaustores, o rejeito não entrará em contato com o oxigênio, evitando a liberação de águas ácidas. “O rejeito contém pirita, que é sulfeto de ferro, enxofre e outros minerais pesados, e este mineral em contado com oxigênio e água, torna a água ácida.

Segundo os especialistas, é importante destacar que a pirita está confinada no subsolo, nas galerias mineradas, não haverá espaços vazios, mesmo que tenha o deslocamento do material é muito pequeno e não chegará à superfície, deixando de haver subsidência, isto é, os terrenos na superfície não cairão e casas não racharão mais. (Job, Ulisses; 2011)

A PIRITA ATRAI DINHEIRO

Pirita.
(Fonte: Jornale)

A pirita é um mineral muito bonito de se ver, com estrutura geométrica cúbica e a cor brilhante do ouro. Embora de escasso valor monetário, possui uma incrível capacidade de atrair dinheiro.

Compre uma pirita e mantenha-a por três dias em um copo com sal: dessa forma, as eventuais negatividades serão expulsas. No terceiro dia, numa hora diurna, pegue a pirita e segure-a por alguns minutos, sem pensar em nada específico, porém considerando-a parte de sua aura. Você sentirá a pirita esquentar e vibrar: nesse ponto, diga as seguintes palavras dirigidas ao deva (espírito) do mineral: “obrigado, deva da pirita, por teres acolhido ao meu espírito e por ter me doado o teu. Eu, (fale seu nome), peço-te que satisfaça este meu desejo (faça o seu pedido com clareza). Confio a ti e a tua energia o meu desejo. Obrigado, obrigado, obrigado”. Embaixo da pirita (que não deve ser fechada numa gaveta) coloque uma cédula de dinheiro de qualquer valor.

Os resultados surgirão rapidamente. Quando perceber que não tem mais necessidade da pirita, agradeça a ela por tudo o que fez por você e dê de presente a alguém que possa usufruir seu poder.








REFERÊNCIAS
·         Press, Frank; Para entender a Terra. 4 ed. Porto Alegre; Editora Bookman
·         Dana, James; Manual de Mineralogia. Vol 1; Ed. Livro Técnico S.A.; Rio de Janeiro; 1969
·         Howie, Robert A.; Minerais – Constituintes das Rochas. 2 ed.; Ed. Fund. Calouste Gulbenkian; 1992.
·         Tesouros da Terra – Minerais e Pedras Preciosas; Ed. Planeta.
·         INOVAÇÃO TECNOLÓGICA, 2011:
·         Del Lama, Eliane; Os minerais e suas aplicações. Instituto de Geociências USP; São Paulo; 2003. Site:
·         Job, Ulisses; Sistema preenche com pirita as frentes que já foram mineradas. SATC - Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina; Santa Catarina; 2011. Site:
·         Ganesha, Aislin; A pirita atrai dinheiro. Jornale; 2009. Site:


Um comentário: